A lingerie é uma peça que acompanha o visual feminino há dezenas de anos. De acordo com historiadores da moda, o primeiro registro de roupas íntimas se deu na Grécia Antiga. Nessa época, as mulheres utilizavam uma faixa de tecido em torno do tórax para sustentar os seios e afunilar a região da cintura. No entanto, foi somente a partir do século XX que as peças íntimas foram associadas à sensualidade feminina, incluindo a lingerie. Na Grécia Antiga, a principal intenção era esculpir o corpo, mas isso não significava “sensualidade” para o pensamento grego.

Ao longo dos anos, a lingerie foi se tornando uma peça cada vez mais bonita e desenhada, além de confortável, capaz de dar um toque diferenciado ao corpo da mulher. Pode-se dizer que ela alcançou tudo isso devido ao desenvolvimento de certos tecidos, além da criatividade dos estilistas.

Hoje, apresentaremos quais são os tipos de tecidos mais utilizados nas lingeries. É uma curiosidade sua de muito tempo? Então continue a leitura.

Tecidos mais utilizados na confecção de lingerie

Tomando como base uma matéria que foi publicada pela Terra sobre o assunto em questão, os principais tecidos utilizados na confecção nas lingeries são, ao todo, cinco. Conheça um pouco sobre cada uma a seguir:

Renda

Trata-se de um tecido que é formado por algodão e viscose ou poliéster. Os especialistas destacam que é utilizado até 100% do algodão em combinação com esses dois tipos de materiais.

No universo de moda íntima, é um tecido muito utilizado para elaborar peças como calcinha, sutiã e lingerie, por exemplo. Está entre os tecidos mais preferidos pelas consumidoras. É por essa razão que a maioria das peças de hoje conta com alguma renda, pois deixa o produto mais atraente, ou seja, com uma estética agradável.

lingerie de renda

Cotton

O cotton é outro tecido também muito utilizado para confeccionar lingerie. É composto por uma mistura que corresponde aos seguintes percentuais, geralmente: 8% de elastano e 92% de algodão. É conhecido por apresentar alguns benefícios a uma peça, como: conforto, maciez e durabilidade, transformando-se assim no material ideal para a produção de lingerie.

Além disso, o cotton proporciona que a pele respire adequadamente e absorve com maior facilidade o suor, de maneira a deixar a mulher mais confortável.

Outro ponto a se destacar em relação a esse material é que ele, por apresentar um percentual pequeno em relação ao elastano, possibilita que a peça íntima seja utilizada diariamente, sem que com isso a saúde íntima seja prejudicada.

Microfibra

Esse tecido é formado por dois materiais: poliéster e poliamida. É um tecido considerado mais fino que a seda, bem como mais fino que o algodão. Por essa razão, é um dos mais preferidos pelas fabricantes de peças íntimas, pois garante um resultado excelente, contam com os especialistas.

De acordo com a matéria que foi publicada pela Terra, “a textura da microfibra é macia, com boa durabilidade e secagem rápida. É um material ao qual a pele se adéqua bem, por permitir fácil transpiração, ideal para o dia a dia e para evitar possíveis alergias”. Assim sendo, pode beneficiar a mulher que adora conforto, qualidade e saúde íntima.

Hoje, a microfibra é utilizada não apenas para produzir peças íntimas, vale dizer, mas também na confecção de roupas de casa, mesa e banho. É um material resistente e macio.

lingerie de microfibra

Elastano

Também conhecido como um dos tecidos preferidos para a produção de lingerie, o elastano é, segundo a Terra, “um filamento sintético derivado de petróleo e tem uma textura elástica e brilhante”.

Possui elevada elasticidade, sendo este um dos principais motivos pelo qual a indústria da moda íntima utiliza esse material para produzir sutiãs, calcinhas, lingeries entre outras. Ao possuir uma boa elasticidade, a peça íntima se adéqua de maneira ideal ao corpo da mulher, fazendo com que ela fique confortável e se sinta bem.

Todavia, pode abafar a região íntima e provocar alergias. Por essa razão, devem-se utilizar peças com esse material, de maneira a não colocar em risco à saúde íntima da consumidora.

Algodão

Também temos o algodão como uma das fibras naturais mais utilizadas em todo o mundo para produzir não apenas peças íntimas, mas outras como: bermuda, calça, camisa, camiseta, etc.

O mercado de moda íntima costuma utilizar mais esse tecido pelo fato de que proporciona mais conforto às consumidoras. Além disso, contribui para a saúde da mulher, pois não só absorve a umidade, como também permite que a pele respire adequadamente.

Vale dizer que o algodão se coloca hoje como um dos principais insumos para a produção de peças íntimas, correspondendo, segundo a matéria que destacamos, a 60% do total de matérias-primas utilizadas, como os outros tecidos mencionados.

Seda

A seda também se coloca como um dos tecidos mais utilizados pela indústria da moda íntima. Trata-se de uma fibra natural, a qual é resistente e macia, proporcionando assim, conforto e qualidade de vida para a mulher que não abre mão de sofisticação em relação às peças íntimas.

Todavia, não possui tanto brilho, o que significa dizer que é um tecido mais discreto. Por outro lado, apresenta elevado nível de absorção, possibilitando assim que a pele respire adequadamente, o que pode tornar o seu uso agradável, sobretudo, em épocas como verão.

Como vimos, hoje, a indústria da moda íntima utiliza vários tipos de tecidos para confeccionar peças íntimas como lingerie, uma das mais atraentes para uma mulher. Nesse contexto, cabe dizer que para selecionar o tecido ideal de sua lingerie, é fundamental considerar as suas características, bem como os benefícios que ele pode proporcionar a você.

Gostou deste conteúdo e ficou interessado (a) em ler outros? Ciente de que disse sim, não deixe de acessar nosso blog. Nele, estamos sempre publicando artigos que podem facilitar o seu dia a dia, bem como potencializar os seus conhecimentos a respeito deste e de outros assuntos.

Escreva um comentário

Share This