Mercado de Lingerie

O Brasil está passando por um período de crise. Por isso, é importante investir em uma área que não seja vulnerável a esse fator, como o Mercado de Lingerie. Esse setor é o da moda íntima, que apresentou crescimento em 2017, de acordo com o IEMI (Instituto de Estudos e Marketing Industrial) Inteligência de Mercado.

Segundo dados de 2012 da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, o mercado de lingerie movimenta cerca de 3,6 bilhões de reais anualmente. Além disso, de acordo com a 13ª edição do “Relatório Setorial da Indústria Têxtil Brasileira”, o Brasil é o 5º maior produtor mundial na indústria têxtil.

Portanto, o mercado brasileiro apresenta amplas oportunidades para os empreendedores interessados nessa área. Quer saber mais sobre como o setor da moda íntima pode te beneficiar? Vamos te ajudar neste post!

Quais as oportunidades nesse setor?

Pequenos empreendedores que desejem expandir os seus negócios têm ótimas oportunidades no setor da moda íntima, já que é uma área com vários nichos. O mercado de lingerie consegue atender diversos públicos, haja vista a existência de uma série de modelos customizados, que atendem a diferentes gostos e bolsos.

Para alavancar as vendas, é importante identificar o perfil dos compradores, para investir nas peças ideais para esse público. Além disso, é importante estar informado sobre as tendências para este ano, para um melhor investimento.

Vale ressaltar a importância de uma empresa qualificada em negócios de revenda para o sucesso do empreendedor, já que um serviço de qualidade e bons produtos ajudam a aumentar as vendas.

Quais as tendências de lingerie de 2018?

Neste ano, as lingeries vão quebrar os limites entre top, sutiã e biquíni. Uma mesma peça poderá servir como todos esses conceitos para compor o look. A roupa íntima ficará exposta com o uso de calças, saias, jaquetas abertas, vestidos decotados ou qualquer roupa que deixe o sutiã à mostra. As peças mais esportivas, retas e lisas ganharão mais espaço como modelos híbridos para usar nessas composições.

A grande preocupação a se ter com as lingeries não é mais apenas a aparência das mulheres, mas também o seu conforto. Assim, o principal aspecto da moda íntima deste ano é misturar o bem-estar com a sensualidade. Pode apostar nos sutiãs sem arco e bojo e nas calcinhas de cintura alta. Essas roupas íntimas extremamente confortáveis geram um ar mais vintage.

Além disso, a moda de 2018 aposta em tons terrosos e pastéis, que vão do nude ao roxo, passando por tonalidades de marrom, azul, vinho e acinzentado. As estampas floridas e outras texturas delicadas também estão em alta. Essas cores são ideais para usar com roupas mais claras, proporcionando um look mais leve e jovial.

Como o mercado de lingerie expandiu?

Alguns fatores favoreceram a expansão da moda íntima no Brasil. Um deles é o aumento do número de mulheres no mercado de trabalho nas últimas décadas, que permitiu a ampliação do poder de compra do público feminino. Essas consumidoras independentes, com o aumento do seu poder aquisitivo, passaram a investir em produtos diferenciados e com maior qualidade.

O perfil de vendas brasileiro na moda íntima também favoreceu a expansão, já que é voltado para diversos nichos, abrangendo tanto grandes corporações quanto pequenas confecções familiares. O importante para esse negócio é a experimentação e a customização das lingeries.

A criação de cursos na área de design e moda permite que empreendedores criem as suas próprias peças com mais facilidade. As novas tecnologias e técnicas de costura também são aliadas na produção do setor.

Quais as previsões para esse setor em 2018?

O mercado de lingerie tende a aumentar em 2018, já que esse meio está em crescimento, como já visto. Além disso, de acordo com a pesquisa de mercado da Technavio de 2016, podemos prever um aumento de 17% no mercado online de lingerie até 2020, com base no crescimento do uso dessa forma de vendas e do seu faturamento.

Diferente de outras áreas do mercado, o setor da moda íntima não será atingido pela crise brasileira. Neste ano, o mercado terá crescimento e retomará os níveis de produção pré-crise. Em 2018, a fabricação também prevê o alcance do maior índice dos últimos quatro anos.

Portanto, mesmo que o país ainda sinta os efeitos da crise e que os consumidores estejam relutantes, a moda íntima vai ter uma retomada na produção e no faturamento.

Como se beneficiar dessa área?

Para evitar perdas e maximizar os lucros, é importante que o empreendedor saiba identificar o mercado. De acordo com uma pesquisa realizada pelo IEMI, a maioria dos consumidores são mulheres entre 25 e 34 anos entre as classes B e C. Além disso, 80% delas compram em lojas físicas e 92% compram em lojas que já conheciam anteriormente.

Ainda segundo a pesquisa, 65% das mulheres compram roupas íntimas pelo menos uma vez durante o mês, com 80% das compras destinadas ao próprio uso e 32% feitas para substituir peças antigas. As mulheres gastam, em média, 100 reais com as compras das roupas íntimas.

É importante lembrar a necessidade da escolha de uma empresa qualificada para que o pequeno empreendedor compre os produtos para a revenda. A inovação e a qualidade no mercado de lingerie são essenciais para a garantia de um destaque nas vendas e o sucesso financeiro.

O melhor de tudo isso é que, nesse setor tão amplo e heterogêneo, pequenos e grandes negociantes conseguem lucrar. Para se tornar um empreendedor de sucesso no ramo de lingeries, não é necessário fazer grandes investimentos, haja vista que há oportunidades para todos os tipos de bolsos.

O mercado de lingerie é uma área ampla e extremamente lucrativa. Esse setor está em crescimento à medida que as mulheres ganham poder aquisitivo. Por isso, é importante estar sempre antenado em como você pode se beneficiar da venda de lingeries. Mas lembre-se: é importante buscar um bom revendedor para o sucesso do negócio.

Gostou de saber mais sobre o mercado de lingerie e as suas tendências? Assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos como este diretamente em seu e-mail!

Share This