A falta de confiança afeta mulheres nos mais diversos âmbitos: nos relacionamentos, na sexualidade, entre amizades e até mesmo no mundo do trabalho. Diante de padrões estéticos tão fortes, a autoestima e a confiança vinculam-se fortemente à imagem, e fazem com que mulheres das mais diferentes idades passem por distúrbios alimentares e transtornos psicológicos. Quer aprender como ser mais confiante? Confira as nossas dicas e melhore a sua relação com você mesma!

É possível desenvolver confiança?

Sim! Como a vlogueira Jout Jout afirma, o amor próprio e a autoestima são valores construídos no dia a dia, constantemente.

É comum pensar que somente as pessoas que correspondem a um padrão estético têm confiança suficiente para fazer o que desejam. Contudo, até mesmo as pessoas tidas como “beldades” enfrentam conflitos consigo mesmas.

A relação entre as pessoas e as ideias que elas fazem de si mesmas é muito subjetiva. Mesmo que uma pessoa seja bem-sucedida no mercado de trabalho e corresponda a ideais de beleza, pode se sentir mal por causa de falhas que, para outras pessoas, seriam insignificantes. Por isso, é muito importante que você tenha um olhar mais gentil sobre essa questão, respeitando as dificuldades de cada uma.

Como ser mais confiante?

Uma relação mais amigável com você mesma passa por relações mais gentis com as pessoas que a cercam e por muito autoconhecimento. Entenda!

Conviva com pessoas que façam bem para você

Quando estamos acompanhados de pessoas que somente pensam na aparência e estão sempre elaborando comentários maldosos sobre outras pessoas, automaticamente passamos a nos ater a esses aspectos. É comum vermos casos de distúrbios alimentares e transtornos emocionais em ambientes onde a imagem torna-se um produto por si só.

Lembre-se que estar bem com a sua aparência é importante, mas isso não é o único fator responsável pela qualidade de vida ou por tornar uma pessoa interessante. Afinal, de que adianta uma pessoa ser bonita se ela não é bondosa e inteligente? Vai dizer que nunca ouviu o caso de uma amiga que conheceu um cara lindíssimo no Tinder e teve um encontro decepcionante?

Rodeie-se de pessoas que você admira e que você gostaria de ser. Suas perspectivas ficam melhores e suas trocas muito mais ricas e assim aprendendo como ser mais confiante!

Valorize as múltiplas funções de seu corpo

Um corpo é muito mais do que algo a ser apreciado. Ele é um recurso e tanto para que você enfrente as tarefas da sua rotina, receba e dê amor, se mova pelos seus sonhos e atravesse fases difíceis.

Lembre-se do quanto o seu corpo já a ajudou a chegar até onde você está e do que ele ainda é capaz. Por isso, é muito importante cuidar dele com muito carinho, alimentando-o bem, descansando adequadamente e fazendo com que ele se mova por aí.

Encontre uma atividade física que lhe faça bem

Você não precisa ser a musa do crossfit para saber como ser mais confiante com o seu corpo.

Exercícios físicos não valem somente para perder calorias e tonificar músculos: eles mantêm a sua saúde em dia e ajudam na liberação de endorfinas. A disposição física e mental melhora, bem como a resistência de seu sistema imunológico e a concentração. Dores crônicas são reduzidas e seu intestino passa a ter um funcionamento melhor. Em casos de ansiedade e depressão, eles também amparam na diminuição do estresse e da tensão corporal.

Para cuidar deste corpo que move você em direção aos seus sonhos, explore diferentes modalidades até encontrar uma que você goste. Isso faz toda a diferença na sua motivação e nos resultados obtidos. Uma bela roupa de academia também ajuda!

Seja mais gentil

Jout Jout afirma que “ficamos com medo das pessoas nos olharem porque temos medo que elas nos olhem da maneira como olhamos para elas”. Ter uma perspectiva mais gentil com relação às pessoas, portanto, é uma ferramenta e tanto para se olhar com mais respeito e, de quebra, fazer ainda mais amizades!

Essa gentileza não se restringe às outras pessoas. Você precisa entender que a autoestima é um valor oscilante. Há dias em que você não estará tão bem assim, e é importante que você encontre formas de não se afundar em pensamentos nocivos nesses momentos. Nessas situações, vale sair e desabafar com as amigas, preparar uma maratona de filmes e séries ou caminhar um pouco sob o sol!

Veja pessoas parecidas com você

Para o bem ou para o mal, vivemos na era das redes sociais. Infelizmente, o Instagram já foi apontado como uma rede social danosa para a saúde mental. Por isso, é importante, cada vez mais, pensar nessas plataformas como ferramentas para melhorar a sua relação com a comunidade que a rodeia, o que passa também pelo bem-estar em relação a você mesma.

Por causa da falta de representatividade, muitas mulheres não se vêem em revistas, filmes e TV. Assim, fica difícil criar uma relação saudável com o que você entende sobre a sua imagem! A empresária Ana Paula Xongani afirma que se cercar de imagens de pessoas parecidas com você ajuda a construir um laço afetivo com o que você é. E felizmente, os recursos para isso estão mais acessíveis.

Tanto no “Insta” quanto no Pinterest, por exemplo, é possível criar murais inspiradores, um bom recurso para você ver mais pessoas parecidas com você e observar a beleza delas. Você também não tem qualquer obrigação em seguir pessoas que postam conteúdos potencialmente danosos para você. Construa um feed gostoso de ver e ler, capaz de informar e deixar seu dia mais interessante!

Invista em autoconhecimento

Como ser mais confiante e como vai gostar e ter uma relação saudável com uma pessoa que não conhece? A baixa autoestima muitas vezes é relacionada à falta de intimidade entre as pessoas e elas mesmas. Portanto, invista em terapias, práticas e atividades que a ajudem a desenvolver conhecimentos sobre você mesma. Você vai ver que essas práticas podem ajudá-la até mesmo na hora H, para dizer o que gosta e o que não gosta, bem como para ouvir outras pessoas e ajudá-las quando for preciso.

Teste coisas novas

Parte do autoconhecimento passa por testar coisas novas. Algumas cores, por exemplo, são capazes de valorizar a cor de sua pele e de seus cabelos.

Infelizmente, é comum ver mulheres se sentindo mal com seus corpos porque ainda não encontraram modelos de roupas que a fazem se sentir bem. Cada corpo tem necessidades próprias. O bojo que provoca dores em seus seios pode ser substituído por outro modelo de sutiã. Sinta-se livre para experimentar novas tendências, cores, sapatos e lingeries!

Quanto mais você investe em autoconhecimento, mais percebe que não faz sentido se comparar a outras pessoas. Tornar-se mais confiante depende de uma predisposição para valorizar os próprios acertos e enfrentar suas próprias dificuldades.

Agora que você já sabe como ser mais confiante, que tal compartilhar este post nas redes sociais, marcar as suas amigas e combinar aquela reunião para ouvir umas às outras?

Share This